Answer Questions

Labels

Strange Angels - Lili St. Crow - Ed. Novo Século







Editora: Novo Século
Autor: Lili St. Crow
Ano: 2010
Número de páginas: 288










“- Aquela foi a minha primeira vez, com você.
Ele deu um sorriso largo e torto, no qual acabou enfiando mais batatas.
- Dru, você é uma má influência para mim.
Ah, e você nem sabe o quanto, moleque. Eu estava rindo de novo, sem querer. Depois disso, o sanduíche ficou uma delícia.” – Página 77

Dru Anderson é uma garota que vive em contato com o Mundo Real! Vive mudando de cidade em cidade com seu pai, lutando contra as forças do mal. Só que uma noite quando seu pai não volta pra casa ela já sabe que alguma coisa aconteceu. E então seu pai aparece, só que morto-vivo, um zumbi. Quando Dru deixa tudo para trás, um garoto gótico acaba ajudando e envolvido nesse tão estranho mundo. O que ela não imaginava era talvez o que transformou seu pai talvez estivesse atrás dela.

Vou começar dizendo que gostei do livro, mas que o livro me irritou tanto, mas tanto que fez com que eu perdesse a paciência e em alguns momentos perdesse geral o tesão pelo livro. A narrativa é muito boa, mas é quebrada constantemente por “Cês”. Eu não sei dizer quando uma tradução é boa ou não, pois não leio em inglês, mas eu sei dizer quando alguma coisa me irrita, e acho que o que me irritou foi essa tradução.

Entendam-me, a narrativa é fantástica, por várias vezes eu perdi o fôlego. É envolvente primeiro você se simpatiza com a Dru, poxa ela tá sozinha, depois se compadece de Graves o amigo gótico que ela arruma, depois se apaixona pela idéia de ver os dois juntos, e por ultimo prende a respiração em cada momento tenso que a narrativa e para minha surpresa, são muitos, me prendeu e eu tive que matar aula na faculdade para não ficar com o capitulo lido pela metade. Tem tudo pra ser um livro 5 estrelinha pra mim, daqueles que eu fico torcendo pra sair o próximo. Mas toda hora eu que eu lia e tinha um “Cê” dava vontade de largar o livro.

A Dru é aquele tipo durão, difícil na queda, que xinga e bota a banca, só fica mansa e chorona quando acaba encontrando Graves. Então quando você forma uma imagem nítida dela, vem aquele “Cê”, juro, morria de ódio, dava vontade de jogar o livro pela janela. Primeiro porque, ninguém que eu conheça fica falando Cê, depois que ela pensa e no pensamento dela tem Cê, e terceiro Cê é coisa do interior não combina com a Dru, quebra a imagem dela.

O Graves é gótico e bonito pela descrição da Dru, no meio do caminho sofre um “acidente” o que torna as coisas ainda mais emocionantes e atraentes, e mesmo depois disso, e quando eu vou suspirar por ele, lá vem o maldito Cê. Que não combina com Graves.

Quando Graves encontra a Dru, ela está em choque, pois acabou de “matar” seu pai morto vivo e ele acaba acolhendo-a e dizendo que a “Primeira é gratis”, e depois disso, quando saem da toca de Graves, um rastreador vem atrás de Dru, e então ela imagina o pai dela, como se ele estivesse falando com ela, e lá vem o Cê. O pai dela um militar fortão falando Cê. Já disse que não combina?

Só posso dizer que daí pra frente o livro me tirou o fôlego, várias vezes! Os acontecimentos são inusitados, as descobertas são muitas e eu fiquei em choque quando me toquei que demorei horrores para ler o livro e daí vem o Cê. E fico: Mas que saco de Cê é esse? Quem foi que o colocou aí? Alguém me explica?

Se você na liga, leia e leia rápido, porque tirando os Cês, é um livro muito bom! Já se você se incomoda como eu... Bom tome calmante e não leia o livro perto de janelas, pois você corre o risco de querer jogar pela janela.

Comentando aqui, você tem direito a uma entrada extra para a promoção 400 seguidores!
http://migre.me/4lzgU

Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo!

Posts Relacionados

 
COPYRIGHT © NOVEMBRO 2014 Silêncio Que Eu To Lendo...
LAYOUT DESENVOLVIDO POR JÉSSICA GUEDES | ILUSTRAÇÕES POR JULIANA RABELO.