Answer Questions

Labels

O Circo da Noite - Erin Morgentern
Ed. Intrínseca








Editora: Ed. Intrínseca
Autor: Erin Morgenstern
Ano: 2012
Número de Páginas: 387
Skoob






“[...] Alguém precisa contar histórias. Que batalhas são travadas, vencidas e perdidas, quando piratas encontram seus tesouros e os dragões comem seus inimigos no café da manhã acompanhados de uma bela xícara de chá, alguém precisa contar as próprias narrativas superpostas. Existe magia nisso. Está nas pessoas que ouvem, e será diferente para cada ouvido, e vai afetá-las de formas que nunca poderão prever. Desde o mundano até o mais profundo. Você pode contar uma história que passe a morar na alma de alguém, se transforma em seu sangue e propósito. Essa história vai motivar e impulsionar e quem sabe o que ela poderá fazer por conta disso, por causa das suas palavras.[...] ” Página 360

“O Circo da Noite” conta a história de uma batalha entre dois mágicos, no pano de fundo de um circo. Um treina Marco, um menino adotado e sem aptidão nenhuma para mágica, começa a ser educado para aprender as técnicas mágicas de seu instrutor. O outro treina Celia, sua própria filha, que nasceu ‘propensa’ a mágica, ou seja, tem a mágica dentro de si.

E quando o jogo começa o ambiente é o Le Cirque de Rêves, ou O Circo dos Sonhos, onde um deve superar o outro em suas obras, o problema é que Marco e Celia não sabem as regras do duelo e nem quando ele vai acabar.

Primeiro: Acho incrivelmente difícil escrever sobre esse livro. Porque vejamos do meu ponto de vista o livro se tornou um livro ambíguo demais, a história é diferente de tudo que já li, apesar de já ter lido sobre mágica e sobre circos, o ambiente se provou novo e os personagens apesar de serem humanos mostram características encantadoras.

Logo de cara Marco, se encanta com Celia e vê nela sua adversária, já Celia duela sem saber quem é seu oponente e quando descobre que é Marco também acaba se encantando pelo rapaz. E eles vão criando coisas surreais para o circo, tendas e mais tendas mágicas. E é nesse ponto que entra a magia da narrativa.

A narrativa é acima de qualquer coisa envolvente, eu me senti tranquilamente dentro do livro, sabe quando só falta sentir o cheiro? Pois bem a narrativa me envolveu completamente, existe uma passagem que Bailey entra em uma tenda menor e encontra uma mesa cheia de frascos e cada um dos frascos conte um cheiro, e o livro descreve cada cheiro e cada sensação, no ponto de vista foi um dos trechos em que mais senti a narrativa! Por outro lado é uma narrativa pesada, em que muitas vezes me venceu! O livro é cheio de detalhes e sem nenhuma ação, muitas vezes apesar de estar louca pelos detalhes e pelas sensações que o livro me trouxe, fiquei cansada da leitura e com sono.

Outro ponto para se levantar é a cronologia do livro. O livro por vezes descreve o futuro e as vezes o passado, mas sem nenhum marcação notável, por várias vezes me perdi no meio da história, e tive que voltar. É o tipo de livro que se deve ler prestando 100% de atenção aos detalhes e as entrelinhas.

O circo é esplendidamente encantador, só noite, quando o relógio soa meia-noite ele abre e quando os primeiros raios de sol aparecem ele fecha. As tendas começam sendo construídas por Celia e por Marco separadamente, mas chega um ponto que eles começam a complementar suas tendas, usando a magia de ambos, o que só torna as coisas mais interessantes.

Alguns personagens secundários ganham destaque do meio para o final da trama, mas qualquer personagem pelo máximo que seja secundário é inebriante. Acho que Tsukiko é revelada muito tarde na trama, minha intuição Ah...Sei! Conte-me direito essa história sempre foi a favor de que ela escondia algo.

Sinto que estou enrolando! E estou começando a ficar confusa. Enfim, indico a leitura para quem gosta de livros mais intensos! Espero reler a obra daqui a algum tempo, para sentir mais uma vez o poder que o Circo da Noite teve sobre mim.

Classificação: 4/5




Posts Relacionados

 
COPYRIGHT © NOVEMBRO 2014 Silêncio Que Eu To Lendo...
LAYOUT DESENVOLVIDO POR JÉSSICA GUEDES | ILUSTRAÇÕES POR JULIANA RABELO.