Answer Questions

Labels

Seraphina - Rachel Hartman
Ed. Jangada












Editora: Jangada
Autor:  Rachel Hartman
Ano: 2013
Número de Páginas: ??
Skoob






"O fato de um dragão haver me salvado não interferiu em nada nessa minha avaliação posterior. Ninguém jamais se preocupou em me dizer que Orma era um dragão." - Página 93



Seraphina vai ser lançado esse ano pela editora Jangada! Mas eu recebi uma prova para contar em primeira mão para você do que se trata! Vocês sabem que ando um pouco cabisbaixa com leituras cheias de fantasia e enfim... E posso dizer pegar que Seraphina para ler, trouxe um ar de renovação na literatura fantástica!

Seraphina é uma espécie de mestiça que você descobre aos poucos que teme tanto aos humanos quanto aos dragões, mas ao mesmo tempo é uma garota corajosa e cheias de desejos e mistérios. E em seu mundo não existe meios termos pacíficos.

Os dragões de Rachel Hartman podem se tornar humanos, são inteligentes e um pouco mal-educados, e por conta de um tratado firmado a quase 40 anos, eles podem conviver entre humanos, apenas se estiverem em sua forma humana e se andarem com um sino. Ou seja, PURA INVEJA dos seres humanos, as vezes, eu envergonho de ser humana!

Ops! Peraeeeee! Eu nem vivo em mundo com dragões. Pois bem, Seraphina narra sua história de forma tão tranquila e marcante que é impossível não deseja ser um dragão. Claro! Sem a parte sombria. Seraphina é uma “surpresa”, não posso contar! #TodosChoram E por conta de ser quem se é, ela tem algumas peculiaridades, o que torna tudo tão intrigante.

Uma coisa muito bacana durante a leitura de Seraphina é que algumas memórias de sua mãe voltam para ela, e em nenhum momento o livro te confunde. Algumas mudanças de sonhos, lembranças e o tempo real acontecem quase sem trauma nenhum na leitura. Você vai e volta sem problema nenhum na história. Outro detalhe que devo comentar é que alguns personagens como Orma, e a princesa me intrigaram MUITO, talvez se eu pudesse ver as coisas pelo ponto de vista deles... #SonhaNãoCustaNADA!

Rachel Hartman com sua escrita peculiar, criou um mundo tão real e palpável para Seraphina que é praticamente impossível não imaginar cada detalhe da cena, ou não ouvir as notas musicais. É simplesmente impossível não fechar os olhos e querer estar lá.

O final confesso, não foi uma decepção, foi tranquilo, mas fiquei com um gostinho de “mais” sabe? Pois bem! Quero muito saber como toda essa história vai terminar!
Classificação: 4/5


 

Posts Relacionados

 
COPYRIGHT © NOVEMBRO 2014 Silêncio Que Eu To Lendo...
LAYOUT DESENVOLVIDO POR JÉSSICA GUEDES | ILUSTRAÇÕES POR JULIANA RABELO.