Answer Questions

Labels

Desafio Realmente Desafiante 2013 - Fevereiro



2º Mês de Desafio!! Todo mundo animado, né?
Esse mês eu escolhi: 9. Ler um livro cujo o título tenha mais de 5 palavras.

Você pode linkar a sua resenha aqui! E nos comentários diga para todo mundo qual o desafio que voce escolheu esse mês!!!
 








Editora: Intrínsica
Autor: John Freen
Ano: 2012
Número de Páginas: 288
Skoob





“Não dá para escolher se você vai ou não se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo.”

E então chega aquele momento de falar sobre “A Culpa é Das Estrelas”. Sou do time que acho que alguns livros simplesmente devem ser lidos sem se preocupar com sinopses e personagens. Então talvez essa não seja propriamente dita uma resenha, mas sim uma impressão.

John Green, não precisou de um criar um mundo. Não precisou se esforçar para criar personagens majestosos, não foi longe do clichê. Mas emocionou. Tornou algo que deveria ser simples e tranquilo em algo complicado, turbulento e emocionante.

Tá bom Clícia, agora me conta o porque você está toda trabalhada na prosa... Pois bem! Acho que vou contrariar a maioria dos leitores e dizer: “A Culpa é Das Estrelas” não se tornou meu livro favorito, não mudou minha vida, não me fez ver o mundo diferente e não e emocionou como provavelmente emocionou você.

Não vai me matar? Ufa! Vou continuar. Eu senti um incomodo muito grande durante TODA a leitura, uma sensação de constrangimento. Porque o livro veio de uma forma muito intima, e eu me vi jogada dentro de uma história a qual não me pertencia. O que me provou 2 coisas: 1ª John Green escreve MUITO, a ponto de me colocar em um ponto desconfortável e me fazer ler o livro até o final, me fazendo intima de uma leitura com a qual não tive nenhum ponto de identificação. 2º O livro é um livro “baixo” no sentido de te mostrar uma vida delicada e usar disso para causar uma sensação estranha e bizarra em você.

E é nessa hora em que eu tenho certeza que vou levar umas pedradas! Porque já ouvi “sua insensível”, “sua ogra”, mas mantenho minha opinião firme. O livro fez sucesso no sofrimento e na dor, não no amor e na emoção em si. #Sei lá

Acho tudo isso muito confuso. Mas enfim, deixei minha opinião registrada, um livro bom, uma escrita excelente, mas que não me convenceu a nada.

3/5: BOM!







Posts Relacionados

 
COPYRIGHT © NOVEMBRO 2014 Silêncio Que Eu To Lendo...
LAYOUT DESENVOLVIDO POR JÉSSICA GUEDES | ILUSTRAÇÕES POR JULIANA RABELO.