Answer Questions

Labels

Escrevendo por aí... #6 - Das cartas que nunca te escrevi...

Escrevendo por aí - Silêncio Que Eu To Lendo

Pai,

As vezes eu penso nas coisas que nunca te disse. Nas dores que nunca compartilhei. Nas vezes em que quis gritar mais alto que você, para tentar ser ouvida. Nas vezes que inventei desculpas para sua ausência. E então minha ficha cai, de que não importa o quanto eu me importe com tudo isso, você simplesmente é assim.

Sinto falta dos diálogos que nunca tivemos. Sobre como aquela vez que você me deixou sozinha na escola pela primeira vez. Eu me lembro de estar perdida, nos corredores que pareciam gigantes demais, e de umas 3 pessoas me perguntarem onde estavam meus pais. Bom, eu me virei. Descobri sozinha o que tinha que fazer e como. Nunca houve a opção de não conseguir.

Alias, creio que esse seja o maior problema. Eu nunca tive opções com relação as suas escolhas. Ou eu fazia, ou fazia. E aí de mim, se eu não fosse "forte" o suficiente para lidar com alguma coisa. Ou então, essa seja apenas a minha percepção de como as coisas aconteceram.

Não deve ter sido fácil, nunca disse que foi. Você sempre assumiu mais responsabilidades do que alguém da sua idade deveria, mas também o fez por conta dos seus atos. Então várias vezes, eu achei que era meu dever fazer as coisas assim. Sabe? Ser a melhor. Até o dia em que percebi que eu queria tantas coisas diferentes.

Eu sempre gostei de brilho, e sempre tive preto e branco. Eu sempre gostei de rosa, mas preferia não assumir. Eu sempre quis me misturar, mas "eu não era como os outros". Porque eu não sou seu molde. É como se você fosse uma pedra grande e redonda, já lapidada. E eu me sinto como uma massa de modelar, dessas com partes coloridas, partes cinzas, não fácil de modelar e com toda certeza sem lados perfeitos. 

As partes coloridas são a alegria e o riso fácil, que com toda certeza não herdei de você. Uma parte que ficou escondida por muito tempo, que demorou para entender como funcionava, mas que hoje faz parte de quem eu sou.

As partes cinzas, são as que eu tenho mais dificuldade de lidar, você sabia? Eu detesto ter que lidar com elas, e durante a vida, eu sempre tento deixar elas o menor possível.

Não sou fácil de modelar, graças a você, eu tive que aprender a ser forte, a aguentar a barra e dependendo a situação, dou graças por ser assim.  Mas gostaria de ter aprendido a ser mais maleável, dócil e tranquila.

Não tenho lados perfeito, vivo de transformação em transformação. E gosto tanto disso, de ser mutável, cheia de pequenos defeitos que estão constantemente supridos e então descubos novas coisas que precisam ser moldadas!

O porque estou escrevendo isso? Rs.. Não tenho a esperança de que elas sejam lidas, compreendidas ou algo do gênero. Mas eu precisava deixar as palavras ao vento sabe? Dar entendimentos aos meus próprios sentimentos.

Com carinho,
Clícia

--

O tema dessa postagem é uma sugestão do grupo Rotaroots, que é um grupo de blogueiros, que querem restaurar aquelas postagens bem maneiras do começo da blogosfera, bem tipo diário!

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. O aprendizado é um caminho sem fim. O resultado após vinte e cinco anos é uma forma exemplar de que você tem seguido os seus sentimentos com consciência. Uma mulher de fibra.

    ResponderExcluir
  3. Legal a sugestão do grupo que vc citou para a coluna. Gostei como sempre do seu texto e confesso que fico sempre imaginando se vc se baseia na sua realidade ou se apenas imagina uma situação e deixa as palavras saírem. Enfim parabéns pelo texto.
    Sobre a questão do grupo desejar que os blogs resgatem algo que deu certo no passado, não sei se concordo porque acredito que as mudanças são necessárias e que cada um deve procurar o que mais tem a ver com sua identidade. Eu gosto do meu blog do jeito que ele é e não acho que colocando texto como se fosse um diário ele ficará melhor. Mas enfim cada um deve ser feliz e buscar o que lhe faz bem. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que um pouco dos dois sabe! rs Um pouco da minha experiência, um pouco do que eu gostaria de ter vivido e um punhado de ideias malucas! rs

      Eu gosto de mostrar o blog como um diário, porque acabo me sentindo mais próxima dos leitores, o blog vira uma extensão daquilo que eu sou! =)

      Bjs

      Excluir

Me conta o que você achou, ou então o que não achou... E se gostou ou não! ;) Adoro sua opinião!

Posts Relacionados

 
COPYRIGHT © NOVEMBRO 2014 Silêncio Que Eu To Lendo...
LAYOUT DESENVOLVIDO POR JÉSSICA GUEDES | ILUSTRAÇÕES POR JULIANA RABELO.